18 de fevereiro de 2018

Por que é tão difícil tocar o f*da-se?!

Foda-se - reflexão

Foda-se!

Leia em voz alta. Lentamente. Sinta a força da expressão (ou do palavrão, whatever). Talvez seja exatamente o que você precise fazer agora para se sentir melhor.

Fomos ensinados a não pronunciar algumas palavras. Elas são consideradas indelicadas. Demonstram falta de educação, mas cabem perfeitamente em alguns momentos da vida. Não vou escrever um post em defesa dos palavrões. Cada um sabe o que fazer deles. Não há manual de etiqueta que se aplique a isso. É questão de escolha. Fale ou não palavrão, tô pouco me fudendo para isso.

Também não vou poupá-los por aqui. É que um deles particularmente vem me intrigando.

Nos falaram para apertar a tecla do f*da-se, mas não nos disseram como seria difícil fazer isso.

Recorro ao Dicionário Informal para chegar logo ao ponto. De acordo com ele, o foda-se pode ser utilizado quando a pessoa “não está nem aí para os outros”, está indignada, sem paciência ou apenas não se importa.

Não quero fazer uma análise semântica do f*da-se, mas precisamos entender, de fato, o que ele significa para nós. Ou deveria significar.

Acostumados a andar sempre na linha ou a atender às exigências dos outros, mal conseguimos lembrar dos momentos em que nossas escolhas foram pautadas exclusivamente pela nossa vontade. Às vezes, tocar o f*da-se é despreender-se dos condicionamentos que nos afastam de quem somos.

Fuck

Diferente de quando soltamos um intempestivo f*da-se, decidir não se importar com a opinião dos outros exige coragem, um certo desprendimento e, mais do que tudo, auto-conhecimento.

Por isso é tão difícil.

Aquele papo de silenciar a mente para ouvir a voz do seu coração não é bobagem não. Por mais agressiva que pareça, a atitude de mandar um f*da-se é pacificadora. Só é possível agradar a si mesmo quem está em paz com o mundo e decide parar de brigar com ele.

Quando acreditamos nas nossas escolhas e bancamos todas elas, não há nada nem ninguém que nos faça mudar. Tocar o f*da-se é viver em liberdade, o que não significa dizer o que se pensa o tempo todo ou desrespeitar regras ou convenções, mas entender que o que você pensa pode ser dito (desde que não ofenda ninguém), que você pode ser quem você quiser (por mais que tentem te enquadrar o tempo todo) e que as regras e convenções estão aí para serem quebradas quando necessário.

Tocar o foda-se

Sozinha, enquanto escrevo isso, consigo dizer um prazeroso f*da-se sem pudor algum, mas estou longe de, realmente, mandar para a puta que pariu tudo aquilo que me impede de viver o que e como eu quero. Que merda, né?!

 

Esse post tá escrito tem um tempo, num espécie de desabafo e reflexão sobre a simbologia do f*da-se, mas foi só quando descobri o livro A Sutil Arte de Ligar o F*da-se que resolvi publicá-lo. Ainda não li o livro, mas fui convencida pela descrição dele: “Livre-se agora da felicidade maquiada e superficial e abrace esta arte verdadeiramente transformadora”. Depois conto o que achei desse que promete ser o auto-ajuda que “vai ajudar você a descobrir o que é realmente importante na sua vida, e f*da-se o resto”.

MAIS POSTS SOBRE:

6 de fevereiro de 2018

10 tipos de celíacos

A doença celíaca transforma a nossa vida. E não é só a nossa alimentação que muda, não. Levantar a nossa bandeira, estudar a nossa condição, se tornar perito em rotulagem… nós também mudamos com ela! Passamos a ser a “pessoa que não come glúten” pra todo mundo e muito mais.

Afinal, que tipo de celíaco você é?!

Eu diria que todo mundo já foi ou é mais de um desses tipos que listei, concorda?!

Celíaco desconfiado

Não acredita em rótulo, nem em informação do SAC. Se depender, duvida até da própria sombra.

Fresh Prince of Bel Air

É praticamente um agente do FBI quando se trata da sua alimentação. Enxerga glúten com olhos biônicos. Sendo assim, nunca se contamina e ainda deixa os órgãos fiscalizadores no chinelo.

Celíaco engajado

Milita pela causa. Atua ativamente nas associações, na Federação Nacional dos Celíacos e nos grupos de celíacos nas redes sociais.

Rebelião-OITNB

Na luta por uma sociedade melhor para todos os celíacos, não sai da cola do poder público e do privado. Graças a esse tipo de celíaco os nossos direitos são garantidos!

Celíaco curioso ou pesquisador

Verdadeiro especialista na doença celíaca. Lê artigos, se inteira sobre os avanços científicos, sabe de cor tudo o que se relaciona à condição.

Celíaco Pesquisador

Chega a saber mais que muito profissional da área de saúde. O único cuidado que deve ter é não acreditar em tudo que vê e ter boas referências para não sair falando abobrinha por aí.

Celíaco da área de saúde

Não importa o que veio antes: o diagnóstico ou a formação. O fato é que celíacos médicos e nutricionistas ou médicos e nutricionistas que são celíacos unem o útil ao agradável (nem tão agradável assim) para transformar não só a própria vida, mas também a de inúmeras pessoas.

Grey's Anatomy

Celíaco influencer

Posta tudo que come, os restaurantes que frequenta e as receitas que prepara. Faz recebidos praticamente só com comida e tem um feed com mais fotos de produtos e pratos sem glúten do que de si mesmo. Vive inconformado com as marcas sem glúten que apenas fazem publicidade e parcerias com blogueiros e youtubers que não são celíacos.

Celíaco esbanjador

Consome produtos das marcas mais caras. Não se preocupa com o preço desde que a despensa esteja sempre recheada de delícias sem glúten. Se não se controlar, gasta tanto que acaba o mês no vermelho.

Gossip Girl

Celíaco sacoleiro

Anda carregado de mochilas, marmitas e sacolas. Nunca é pego desprevenido. Prefere ter uma dorzinha na coluna do que passar fome na rua.

Celíaco Masterchef

Esse esbanja é habilidade na cozinha. Glúten para quê?! Com talento sobra no fogão, faria os jurados mais exigentes comerem em quantidades absurdas.

Monica-Geller-Chef

Celíaco dramático

Faz escândalo quando alguém consome glúten perto dele. Chora de emoção ao comer algo novamente pela primeira vez depois do diagnóstico.

Rachel Friends

A qualquer sintoma diferente, consulta o Google e já acha que está com os dias contados. Não por acaso, morre de saudades das coisas que já não pode mais comer. Recusa o título de coitadinho, mas a verdade é que não dispensa um colo…

Celíaco relaxado

O tipo mais perigoso de todos… para ele mesmo.

Norman Bates

Fura a dieta com frequência. Não resiste em comer glúten mesmo sabendo o que isso significa. Costuma prejudicar a imagem de outros celíacos, pois se “fulano que é celíaco come glúten, por que ciclana fica com essa frescura toda?!”.

 

E aí, qual outro tipo de celíaco você acrescentaria?! Deixa seu comentário e compartilha com os seus amigos pra ver se eles dizem qual celíaco você é.

MAIS POSTS SOBRE: