9 de janeiro de 2017

Você é gordofóbico?

Faço todos os testes do Facebook e nem sempre compatilho o resultado. Só quando convém, claro. Quem nunca? Numa dessas, acabei descobrindo: eu sou gordofóbica. Ou, para ser menos severa comigo mesma, reproduzo falas ou pensamentos gordofóbicos, mesmo que não tenha a intenção de fazer isso.

Com os posts da Helena, do Garotas Rosa Choque, eu já tinha começado a rever meus conceitos. Com muita atitude, a blogueira plus size combate a intolerância e reafirma a importância da verdadeira aceitação.

Garotas Rosa Choque - Quotes

Bora seguir pra já: @garotasrosachoque!

O primeiro passo para mudar algo em nós é reconhecer o que precisamos mudar, certo? Mas como fazer isso?

Aquele teste compartilhado por ela me fez perceber que ainda tenho muito o que aprender e que, para praticar a tal da empatia, precisamos nos colocar no lugar do outro. Por isso, resolvi convidá-la para contribuir nesse post.

Pedi que escrevesse 5 atitudes gordofóbicas que afetam negativamente as pessoas gordas (e irritam também!). A blogueira me explicou que existem vários tipos de posturas gordofóbicas, algumas sem a intenção de ofender e outras com o único objetivo de ferir e insultar o gordo. Mas, não importa, porque se até uma brincadeira pode atingir alguém, qual a graça dela?!

Se a lista soar como um puxão de orelha ou uma leve cutucada, é porque, assim como eu, você também deveria repensar a sua forma de agir ou pensar…

Com a palavra, a sempre lacradora Helena!

Helena - Garotas Rosa Choque

Foto: Mateus Aguiar.

1 – HOJE É DIA DE GORDICE…

Pessoas magras dentro do padrão reclamando que sofrem com o corpo, que se acham enormes de gordas, que estão se sentindo baleias ou monstros. Isso é super problemático e constrangedor para a gorda que está ouvindo ou lendo, no caso das redes sociais. Não é difícil imaginar o porquê, mas muitas pessoas não entendem que se você magra acha isso do seu próprio corpo, imagina o que você acha do nosso corpo?

2 – CHORO MAGRO

Reclamar que sofre magrofobia, ou seja, o famoso choro magro. Isso é irritante pois, sim, todas as mulheres sofrem pressão estética, homens podem sofrer também, mas uma piada te chamando de palito não está nem perto do que os gordos passam todos os dias. Gordofobia não é apenas bullying, o gordo sofre com questão de mobilidade – isso inclui de não poder passar em catracas à não conseguir atendimento médico por não ter equipamentos hospitalares que os comportem. Então, comparar e reduzir a gordofobia com ser chamado de magrelo ou ter complexo do corpo é o mesmo que dizer que sofre racismo inverso.

3 – VOCÊ É DESLEIXADO…

As pessoas costumam acreditar que o gordo não é capaz, é desleixado, relaxado, não tem relacionamentos, é infeliz e compulsivo. Só de olhar para uma pessoa gorda muita gente já tem tudo isso em mente, preconceitos sem sentido nenhum, mas que numa sociedade totalmente superficial é compreensível. Então, não contratar gordos, não confiar a gordos tarefas e projetos importantes, não se relacionar com gordos, tudo isso baseado nesses preconceitos, acontece demais.

4 – PREOCUPAÇÃO COM A SAÚDE?!

Dar opinião sobre o corpo de pessoas gordas e dizer que não é questão estética, que está preocupado com a saúde da pessoa. Isso chega a ser ridículo, pois isso só acontece com gordos, se você fuma, come todo tipo de porcaria, bebe e é magro, ninguém te olha de cima embaixo e decreta que você está à beira da morte.

5 – O SEU ROSTO É LINDO!

Elogiar o gordo dizendo que ele tem o rosto muito bonito, dando a entender que o corpo não é, ou dizer descaradamente que se a pessoa emagrecer vai ficar bonita é terrível. É um falso elogio, que na verdade acaba por ser uma forma de dizer que não aceita o corpo do outro, sendo que: ninguém perguntou! As pessoas, aliás, acham que o corpo da pessoa gorda é público, que elas podem opinar, apontar na rua e decidir se está bom ou não. Indicar dietas a torto e a direito e até mandar fazer cirurgia bariátrica: todo mundo vira médico especialista quando tem um gordo por perto.

Quotes - Garotas Rosa Choque

Se você chegou até aqui, talvez esteja perguntando porque resolvi falar sobre isso no blog. Não foi só o teste. A convivência com pessoas “acima” do peso (termo propositalment escolhido, ok), talvez? Não exatamente. Nem tampouco as minhas crises diante do espelho. Está aprendido. Ainda que as revistas e as redes sociais nos levem a essa insatisfação crônica: choro magro, nunca mais!

Foi ao ver o antes e depois invertido (antes mais magra, depois com 25 quilos a mais) publicado pela Fernanda Carneiro que decidi escrever o post. Ela está igualmente linda e é uma das personalidades mais engraçadas, inteligentes e bacanas que descobri na internet nos últimos tempos (além de fazer receitas incríveis sem glúten).

Ao descobrir a doença celíaca e tirar o glúten da minha alimentação, inicialmente eu engordei bastante (pois é, nem sempre cortar o glúten emagrece). Não entendia a felicidade do médico diante da balança e sempre saía frustrada do consultório. Hoje eu sei que aquilo significava que eu estava me recuperando, que o meu instestino voltava, aos poucos, a absorver os nutrientes.

Nunca fui gorda e nem quero comparar uma coisa com a outra (outra lição aprendida!), mas precisamos, todos, dar um basta para a ditadura da imagem. Que façamos a nossa parte por uma sociedade menos superficial, que seja menos cruel e mais generosa com a diversidade.

Hilda Pin Up

Hilda, uma das pin ups mais famosas dos anos 50, criação do ilustrador Duane Bryers, tinha lindas curvas generosas.

Pin Up Plus Size

Nas palavras da criadora do LeveMe e uma das melhores pessoas para seguir, uma constatação pouco nova, mas ainda necessária: “a beleza, minha gente, é plural”. E tem diversas formas, tamanhos, cores…

Pinup Plus Size

MAIS POSTS SOBRE:

  1. Diego Alves

    Assunto mais que necessário! Valeu, Laila e Helena!!!

  2. Vanessa Rodrigues

    Como sempre, arrasando nos textos! Adorei!!

  3. Thais Ferreira

    Ótimo post! Realmente é preciso repensar nossas atitudes que, mesmo sem intenção, possam ferir alguém.

Deixe seu comentário!