30 de novembro de 2016

O que eu fiz durante os 5 dias que fiquei sem celular

Nada. Bem, no primeiro dia essa era a resposta que eu esperava. Como conseguiria ficar sem celular? Passada a abstinência inicial, até parei de sentir falta dele. Juro! No total, foram 5 dias (incluindo um fim de semana) sem celular. O balanço é positivo, não só de mensagens acumuladas para ler no Whatsapp.

  • Terminei de ver Breaking Bad

Heisenberg

LailaHallack - Walter WhiteSou a atrasada das séries. Relutei bastante depois de ver o primeiro episódio de Breaking Bad, já prevendo que a parada ia ficar tensa durante as temporadas. Ainda bem que insisti. Agora entendo porque ela é considerada uma das melhores séries da história e foi tão premiada (são inevitáveis as comparações com The Sopranos).

A transformação de Walter White (o professor de química endividado que recebe o diagnóstico de câncer no pulmão) em Heisenberg (o temido traficante de metanfetamina) ao longo dos episódios mexe com a gente de tal forma que passamos a torcer por ele e a condená-lo ao mesmo tempo. Criamos tamanha afeição pelo nada típico anti-herói, que o perdoamos por todos os seus crimes e sofremos com as consequências de suas escolhas.

Particularmente, o que mais me comoveu durante a série foi a relação entre Mr. White e Jesse Pinkman… Que roteiro! A trama é um fenômeno mundial porque se constrói de forma sólida, quase tão pura com a droga produzida pelo personagem central, a ponto de nos deixar totalmente viciados nela.

LailaHallack - Walter Jesse

  • Finalmente acabei de ler o livro A utilidade do inútil

A internet consome o nosso tempo com coisas úteis e inúteis, vamos admitir, embora a noção de utilidade possa ser questionada…

Eu recomendo - LailaHallack

“Um manifesto abaixo-assinado por Platão, Aristóteles, Montaigne, Kant, Shakespeare, Victor Hugo, Cervantes, Dickens, Baudelaire, García Lorca, Calvino, García Márquez…”, o livro A utilidade do inútil reúne os pensamentos de grandes filósofos e escritores. Ao fazer isso, o italiano Nuccio Ordine nos convida a repensar a lógica que prevê uma finalidade prática para tudo.

“(…) exatamente aquelas atividades que não servem para nada podem nos ajudar a escapar da prisão, a salvar-nos da asfixia, a transformar uma vida superficial, uma não vida, numa vida fluida e dinâmica”

Percebo que preciso de uma nova meta de leitura como fiz em 2015. Só assim para conseguir largar o celular um pouco e ler mais. Vai ser mais útil… – considerando útil tudo o que nos ajuda a nos tornarmos melhores, como o autor descreve.

  • Terminei minha maratona de Gilmore Girls para, enfim, ver o revival

LailaHallack-RoryDean

Durante a exibição da série, eu assistia os episódios na Warner, mas nunca em sequência. Foi uma delícia rever tudo, em ordem, quase sem parar. Nunca fui #TeamDean, nem #TeamLogan, talvez um pouco #TeamJess, mas o fato é que gostava e desgostava de cada um deles durante o andar das temporadas. Sou e serei eternamente #TeamLuke! E o que achei do revival?! Sem spoiler… apenas decepcionante.

Laila Hallack-Gilmore Girls Quotes

  • Descobri quais os produtos de higiene e cosméticos que usava contém glúten

Os celíacos costumam apresentar alergias ou feridas na pele quando consomem glúten. É a tal dermatite hipertiforme. Estava com um machucado na mão que não melhorava nunca, até que descobri que o creme hidratante que usava tem glúten. Fiz uma limpa nas minhas coisas. Uma pena que seja tão difícil ler e entender os componentes nos rótulos desses produtos… Bastava um “Não contém glúten” pra ajudar.

  • Briguei menos com as pessoas na minha casa

Ficar sem o celular significa não ter que ouvir as reclamações de todo mundo pedindo para que me desconecte um pouquinho. Menos tempo online, mais harmonia na família.

  • Olhei mais nos olhos

Andamos tanto com a cabeça vidrada no celular, que praticamente conversamos sem nos olharmos. Sem ele, pude me reconectar mais aos outros.

 

E vocês, concordam que o celular nos toma tempo demais?! Como manter o equilíbrio? Qual a necessidade de checar esse aparelhinho a cada 5 minutos? Sem querer discordar do livro e desculpem a redundância, mas nesse caso a inutilidade não tem utilidade alguma. Ou tem?!

 

MAIS POSTS SOBRE:

  1. Cledson Campos

    Sempre atualizada, bom por ver e sentir, que você não está sozinho. Obrigado.

Deixe seu comentário!