2 de março de 2017

Ansiedade: quando é e quando não é mimimi

Uma das maiores dificuldades de um ansioso – além de conviver com a ansiedade, claro – é ser compreendido. É ter que lidar com pessoas que acham que a ansiedade é frescura. O tempo todo precisamos provar que não, não estamos de mimimi – expressão tão usada para desvalorizar o sofrimento do outro.

A internet tá cheia de listas com coisas que todo ansioso gostaria que você soubesse ou o que não dizer para um ansioso. Eu resolvi fazer a minha com exemplos de quando a ansiedade é normal e quando não é. Com ela, até você que esbreveja por aí “tá querendo chamar atenção”, “não tem motivos para isso” ou “quem tem amigo não precisa de terapia” talvez possa entender melhor o que passamos.

Garota Interrompida

Situações em que todos podem se sentir ansiosos x Situações que só os ansiosos passam

1 – Ficar ansioso antes de um compromisso ou acontecimento importante é normal. Antes daquela tão esperada entrevista de emprego, festa ou encontro é ok pensar nisso durante o dia inteirinho, antes de dormir e até ter dificuldade para pegar no sono tamanha a ansiedade. Agora quando isso rola com quase tudo sempre, talvez seja um problema. Pensar demais a ponto de não enxergar com clareza as próprias ideias é sinal de que a ansiedade já ultrapassou o nível da normalidade.

Fight Club - quote

2 – Ficar ansioso enquanto planeja uma grande viagem é compreensível.  Agora sofrer com os preparativos, se desgastar com as pessoas que vão junto, sofrer antecipadamente por aquilo que pode vir a dar errado ou desejar que tudo saia exatamente como você arquitetou, não sei não, hein. Se tudo isso te consome a ponto de te deixar exausto; se você não consegue curtir o passeio como idealizou na sua cabecinha ou chega a ficar sem vontade alguma de pegar a estrada, sinto dizer: você sofre de ansiedade.

Movie Quote

3 – Ficar ansioso para encontrar os amigos que não vê há muito tempo, tudo bem. Agora, chegar bem na hora H e não saber se deve ir, se questionar se vai ser legal ou não, se o lugar escolhido é bacana, se a roupa está boa, ensaiar mentalmente as conversas que terão; ir e simplesmente não conseguir aproveitar o momento ou desistir, mesmo querendo muito estar com eles, por puro medo de sair de casa, meu bem, isso é um problema sério. Um baita problemão.

Clube da Luta

4 – Ficar ansioso diante de um desafio profissional, nas situações estressantes do trabalho, ao ter que lidar com um cliente complicado ou ao ser chamado para conversar com o chefe, tá de boa. Agora, se trancar no banheiro da firma, chorar sem saber o motivo e não conseguir sair de lá nem por decreto; sentir dor de barriga, tonteira e calafrios quase todo santo dia; sofrer antes de sair de casa para mais um dia de batente mesmo amando o que você faz… é melhor trocar de emprego ou cuidar mais de você.

Entendem a diferença?

Dizemos que estamos ansiosos quando sentimos expectativa, mas somos ansiosos quando essa expectativa interefe negativamente na nossa vida.

Quando a ansiedade afeta a nossa saúde, os nossos relacionamentos e a nossa carreira tá na hora de procurar ajuda. Ou já passou da hora. Sentir ansiedade não é bobagem. Se não tratada, ela adoece e, infelizmente, também mata. O transtorno de ansiedade vem acompanhado de crises de pânico, depressão, alergias, distúrbios do sono, dores no corpo, problemas para comer… e isso, meus queridos, jamais pode ser visto como um simples mimimi.

Laila Hallack - Clube da Luta

E quando a ansiedade é mimimi?

Você deve estar se perguntando, afinal, tá ali no título. Só é mimimi quando nos apegamos ao quadro de ansiedade e relutamos para sair dele. Como se encontrássemos conforto no desconforto das nossas crises. Com a falsa sensação de que não há mais o que fazer, nos entregamos a uma ladainha sem fim.

Mimimi é assumir o transtorno de ansiedade como algo inerente a nós.

Ainda que o seja, não podemos nos acomodar. Acatar a prescrição médica como única saída, por exemplo, pode ser mais fácil, menos trabalhoso, mas nunca suficiente. Precisamos apenas de alguém que nos chacoalhe e diga: “ei, você pode sair dessa!”.

Laila Hallack

Sendo ou não mimimi, ansioso nenhum merece ser julgado. O respeito e a compreensão nos dão a coragem necessária para, todos os dias, tentarmos mais uma vez.

Baseado em fatos reais vividos por uma ansiosa já em fase de recuperação.

MAIS POSTS SOBRE:

17 de fevereiro de 2017

Ansiedade: bipolar é você!

Montanha russa

Se fosse para definir os dias de um ansioso eu não pensaria duas vezes antes de dizer: é uma verdadeira montanha-russa. Não uma qualquer, mas a mais radical, a mais alta, a mais veloz, com mais curvas e loopings.

Diferente da vida de qualquer pessoa, com naturais altos e baixos, a nossa oscila de uma forma que nos consome completamente.

Collage property of Felipe Posada / The Invisible Realm

Num dia, estamos bem e aparentemente todas as causas da nossa ansiedade resolvem nos dar uma trégua. Nos sentimos estranhamente animados, queremos planejar, produzimos como nunca e sorrimos como se algo fenomenal tivesse nos ocorrido. A calmaria de um ansioso não tem nada de calma. Ela nos deixa em êxtase! Somos tomados por uma alegria repentina. Respiramos melhor, comemos melhor, pensamos melhor, dormimos melhor… até que, sem perceber, gastamos toda a nossa energia.

Vida de ansioso - Laila Hallack

No dia seguinte, mal conseguimos levantar. Aquela vontade de fazer acontecer é substituída por todas as incertezas possíveis. Questionamos tudo. Até o que não é passível de nenhum questionamento. Os planos que foram feitos no dia anterior? Ah, deixa para lá. Não sabemos onde estávamos com a cabeça! Aquela ligação nos atormenta. Desmarcamos os compromissos. As obrigações importantes e as conversas banais: tudo parece tão mais complicado.

Às vezes, sentimos todas essas sensações em um único dia. E não é só variação de humor, não. Antes fosse. Somos tão inconstantes quanto as coisas do mundo dos versos de Gregório de Matos.

Nasce o Sol e não dura mais que um dia,
Depois da Luz se segue a noite escura,
Em tristes sombras morre a formosura,
Em contínuas tristezas e alegria.
Porém, se acaba o Sol, por que nascia?
Se é tão formosa a Luz, por que não dura?
Como a beleza assim se transfigura?
Como o gosto da pena assim se fia?
Mas no Sol, e na Luz falta a firmeza,
Na formosura não se dê constância,
E na alegria sinta-se a tristeza,
Começa o mundo enfim pela ignorância,
E tem qualquer dos bens por natureza.
A firmeza somente na inconstância.

Já cansei de ouvir: “o que foi?”, sem saber o que dizer. “Não sei” nunca é uma boa resposta. É difícil disfarçar. Dizem que minha feição até muda. Estou pulando – literalmente – de um lado para o outro quando, sem mais nem menos, paro, olho para o nada e… sei lá, já não quero mais pular, não. Como se o raro instante de leveza fosse substituído de rompante por uma espécie de tensão e desconforto.

Ser ansioso

As pessoas em nossa volta não entendem. Até ontem – ou até agora mesmo – estava tudo bem. Pior que estava! Nem nós entendemos.

Começamos até pensar que nos deram o diagnóstico errado. Será que não somos bipolar?

Ao me deparar com essa inusitada suspeita, me pego rindo novamente. De mim mesma, claro. E finalmente entendo: bipolar mesmo é essa tal de ansiedade!

 

Ansiosos e ansiosas que sempre pedem mais posts sobre o tema: no próximo vou falar quando a ansiedade é e quando não é mimimi! Alguma experiência pra compartilhar!?

MAIS POSTS SOBRE: