6 de fevereiro de 2018

10 tipos de celíacos

A doença celíaca transforma a nossa vida. E não é só a nossa alimentação que muda, não. Levantar a nossa bandeira, estudar a nossa condição, se tornar perito em rotulagem… nós também mudamos com ela! Passamos a ser a “pessoa que não come glúten” pra todo mundo e muito mais.

Afinal, que tipo de celíaco você é?!

Eu diria que todo mundo já foi ou é mais de um desses tipos que listei, concorda?!

Celíaco desconfiado

Não acredita em rótulo, nem em informação do SAC. Se depender, duvida até da própria sombra.

Fresh Prince of Bel Air

É praticamente um agente do FBI quando se trata da sua alimentação. Enxerga glúten com olhos biônicos. Sendo assim, nunca se contamina e ainda deixa os órgãos fiscalizadores no chinelo.

Celíaco engajado

Milita pela causa. Atua ativamente nas associações, na Federação Nacional dos Celíacos e nos grupos de celíacos nas redes sociais.

Rebelião-OITNB

Na luta por uma sociedade melhor para todos os celíacos, não sai da cola do poder público e do privado. Graças a esse tipo de celíaco os nossos direitos são garantidos!

Celíaco curioso ou pesquisador

Verdadeiro especialista na doença celíaca. Lê artigos, se inteira sobre os avanços científicos, sabe de cor tudo o que se relaciona à condição.

Celíaco Pesquisador

Chega a saber mais que muito profissional da área de saúde. O único cuidado que deve ter é não acreditar em tudo que vê e ter boas referências para não sair falando abobrinha por aí.

Celíaco da área de saúde

Não importa o que veio antes: o diagnóstico ou a formação. O fato é que celíacos médicos e nutricionistas ou médicos e nutricionistas que são celíacos unem o útil ao agradável (nem tão agradável assim) para transformar não só a própria vida, mas também a de inúmeras pessoas.

Grey's Anatomy

Celíaco influencer

Posta tudo que come, os restaurantes que frequenta e as receitas que prepara. Faz recebidos praticamente só com comida e tem um feed com mais fotos de produtos e pratos sem glúten do que de si mesmo. Vive inconformado com as marcas sem glúten que apenas fazem publicidade e parcerias com blogueiros e youtubers que não são celíacos.

Celíaco esbanjador

Consome produtos das marcas mais caras. Não se preocupa com o preço desde que a despensa esteja sempre recheada de delícias sem glúten. Se não se controlar, gasta tanto que acaba o mês no vermelho.

Gossip Girl

Celíaco sacoleiro

Anda carregado de mochilas, marmitas e sacolas. Nunca é pego desprevenido. Prefere ter uma dorzinha na coluna do que passar fome na rua.

Celíaco Masterchef

Esse esbanja é habilidade na cozinha. Glúten para quê?! Com talento sobra no fogão, faria os jurados mais exigentes comerem em quantidades absurdas.

Monica-Geller-Chef

Celíaco dramático

Faz escândalo quando alguém consome glúten perto dele. Chora de emoção ao comer algo novamente pela primeira vez depois do diagnóstico.

Rachel Friends

A qualquer sintoma diferente, consulta o Google e já acha que está com os dias contados. Não por acaso, morre de saudades das coisas que já não pode mais comer. Recusa o título de coitadinho, mas a verdade é que não dispensa um colo…

Celíaco relaxado

O tipo mais perigoso de todos… para ele mesmo.

Norman Bates

Fura a dieta com frequência. Não resiste em comer glúten mesmo sabendo o que isso significa. Costuma prejudicar a imagem de outros celíacos, pois se “fulano que é celíaco come glúten, por que ciclana fica com essa frescura toda?!”.

 

E aí, qual outro tipo de celíaco você acrescentaria?! Deixa seu comentário e compartilha com os seus amigos pra ver se eles dizem qual celíaco você é.

MAIS POSTS SOBRE:

11 de janeiro de 2018

O que os celíacos querem

Celíacos - Laila Hallack

Em 2018, quero ter mais saúde. Quero cuidar mais da minha saúde. Quero valorizar a minha saúde. Quero comer mais frutas, verduras e legumes, mas também espero poder saborear inúmeras delícias sem glúten.

Em 2018, quero que mais estabelecimentos ofereçam opções sem glúten. E que essas opções sejam realmente seguras para os celíacos. Quero poder sair com os meus amigos e a minha família e ter o que comer sem passar mal ou colocar a minha saúde em risco.

Em 2018, eu desejo que os empresários interessados em abrir lanchonetes, restaurantes ou em vender produtos sem glúten entendam que há quem realmente precise ficar sem ele.

Em 2018, eu espero que os produtos sem glúten fiquem mais acessíveis, mais baratos. Quero me decepcionar menos e me surpreender mais com eles. Quero aprender novas receitas. Quero cozinhar mais. Descasar mais e desembrulhar menos, não é o que dizem?!

Em 2018, quero que as pessoas parem de perguntar quantos quilos perdi desde que parei de comer glúten. Quero que parem de me dizer que é frescura, coisa da minha cabeça e que se eu comer só um pedaço não vai me fazer mal. E espero que mesmo se continuarem dizendo que é frescura, coisa da minha cabeça e que se eu comer só um pedaço não vai me fazer mal, eu tenha paciência.

Em 2018, quero que tenham paciência comigo.

Em 2018, espero que mais pessoas tenham o diagnóstico adequado da doença celíaca antes de sofrer as consequências dela. Eu quero afastar de mim as consequências da doença celíaca.

Em 2018, quero que os profissionais de saúde parem de pedir a retirada do glúten antes de solicitar os devidos exames e descartar a possibilidade da doença celíaca. E que as pessoas entendam o perigo disso – não diagnosticada e sem tratamento ela tem graves consequências.

Em 2018, torço para que as pesquisas científicas que buscam alternativas para a vida do celíaco avancem e que a tal vacina que poderá nos permitir comer glúten novamente finalmente saia. Que eu não perca as esperanças, mas nem por isso deixe de encarar a realidade com disciplina e persistência.

Em 2018, quero valorizar ainda mais as coisas que ainda posso comer em vez de lamentar por aquilo que não posso comer mais.  Em 2018, espero que os celíacos continuem unidos e atuantes.

Em 2018, quero que a indústria faça a rotulagem correta dos alimentos e que os celíacos não precisem ligar para o SAC para saber se podem confiar até do NÃO CONTÉM GLÚTEN.

Em 2018, quero continuar longe do glúten. Quero continuar desconfiada, atenta e preocupada com o que como, mas também quero poder comer tranquila, sem medo e sofrimento.

Quero ser feliz, mesmo sem o glúten.

E vocês, o que desejam para o ano que já começou e eu tô atrasada fazendo post sobre isso só agora?! Pra quem não sabe, tô no Youtube também, não deixe de dar um pulinho lá, conferir os vídeos e se inscrever.

MAIS POSTS SOBRE: