30 de outubro de 2017

Ansiedade tem cura?

Comemoro os meses sem a medicação como um time que conquista o primeiro lugar de um campeonato insignificante. Não há do que se orgulhar tanto assim… Tudo continua uma zona aqui dentro. Yoga, meditação, exercício físico, alimentação balanceada, leituras espiritualistas, auto-conhecimento. Já decoramos a receita para a cura da ansiedade, mas ainda não nos perguntamos se ela, afinal, tem cura.

Cura Ansiedade

Mudei completamente a minha rotina, o meu rumo profissional, a forma como encaro os problemas e continuo com o mesmo aperto dilacerante no peito, com a mesma dificuldade para dormir bem – comigo o problema não é adormecer, mas ter um sono tranquilo ou menos tuburlento, que seja – e as mesmas incertezas corroendo os meus pensamentos.

Se antes sofria com a rotina maçante e a correria do trabalho de carteira assinada, hoje peno com os desafios de empreender; e não são poucos. Se antes perseguia obstinada um único plano, hoje me perco diante das muitas possibilidades que se apresentam para mim. Se antes amargava em silêncio as dores desse embaraçoso diagnóstico, hoje compartilho abertamente os meus dilemas sem que isso me torne mais resistente a eles.

O problema, definitivamente, não está na minha vida ou então as coisas teriam mudado da água pro vinho nos últimos tempos. 

Será que o problema sou eu, pergunto diante do espelho, tentando reproduzir alguma cena que pareço ter visto em algum clipe. Falta a música, a chuva lá fora e a certeza de que após o choro descontrolado o final será feliz. Não, o problema não está em mim.

Me recuso a fazer da ansiedade algo inerente ao meu ser. Somos coisas distintas, embora tantas vezes indissociáveis.

Tampouco espero inocentemente pelo final feliz. Já superei essa fase, mas também não consigo sentir plenamente a felicidade que precede o destino final. Quando se tem ansiedade, não é nada fácil aproveitar a jornada como nos mandam fazer, embalados por uma música relaxante e slides com céus e jardins em powerpoints cafonas.

Colagem Paste in Place

Paste in Place: mais uma série de colagens que descobri no Pinterest

Nossa complexidade não pode ser compreendida por nenhum coach do momento. A nossa dor nem sempre será amenizada por um receiturário, seja ele tarja vermelha ou preta. O silêncio contemplativo nos ajuda a compreendê-la, mas nenhuma técnica milenar é capaz de nos transformar em seres plenamente equilibrados.

Entre o mundo lá fora e o mundo aqui dentro há um abismo de contradições. Desejos, planos desfeitos, anseios, ilusões e desilusões, medos, crenças; camadas que não se desfazem de uma hora para outra e só se tornam mais entranhadas com o tempo.

Se a ansiedade tem cura, não sei. Acho provável que não. Como sei que conseguirei conviver com ela? Clarice Lispector, em Água viva, parece responder por mim. “Embora seja tudo tão frágil. Sinto-me tão perdida. Vivo de um segredo que se irradia em raios luminosos que me ofuscariam se eu não os cobrisse com um manto pesado de falsas certezas”.

 

MAIS POSTS SOBRE:

3 de junho de 2017

Ansiedade e direção: dá certo?!

Ansiedade no volante - Laila Hallack

Tirei minha carteira de motorista só em 2013, beeeem depois de ter completado 18 anos (acabo de entregar a minha idade). Adiei tanto a ponto de “começar a auto-escola” figurar na minha lista de metas pro Ano Novo por quase uma década. Sem exagero. Quando finalmente estava com a minha CNH em mãos… não dirigia por nada. Nem sei ao certo os motivos e isso nem vem ao caso. O fato é que depois de muito tempo, no ano passado finalmente comecei a dirigir e me peguei pensando:

Será que misturar direção com ansiedade dá certo?!

Se for ansioso, não dirija

O trânsito é uma loucura e as situações que enfrentamos nele se assemelham muito com as que passamos por conta do transtorno de ansiedade. Quer ver?!

Engarrafamento

Um engarrafamento é de deixar qualquer um impaciente, nervoso e com vontade de matar alguém. Quando estamos com compromisso marcado, então… Se é normal surtar quando ficamos parados no trânsito, imagina para o ansioso?! Estressamos numa proporção ainda maior.

Traffic - Laila Hallack

Para evitar palpitações no peito, falta de ar e aquele desejo incontrolável de berrar, me organizo para que o engarrafamento não represente mais um gatilho para a ansiedade. De forma geral, viver contra o tempo é torturante para o ansioso. E nem sempre sabemos lidar com aquilo que não podemos controlar. Imprevistos acontecem, por isso vale deixar uma brecha na agenda para que o tempo perdido no engarrafamento seja um pouco mais proveitoso – o que não quer dizer necessariamente produtivo, hein?! Nada de querer resolver a vida de dentro do carro. Tente respirar, relaxar, ouvir uma música, pensar na vida… É o que eu faço e funciona.

Barbeiragem

Birkin - Laila Hallack

O que mais tem por aí é motorista infringindo as leis de trânsito. A famosa barbeiragem tem a capacidade de mexer profundamente com as nossas emoções. É um susto a cada esquina! Como na vida, queremos que tudo saia nos conformes – leia-se: do nosso jeito – no trânsito. O que é completamente inviável considerando a capacidade das pessoas de dirigem como bem entendem. Mais do que nunca compreendo quando me alertavam: você irá dirigir por você e pelos outros. Só não me avisaram que isso me daria tanta dor cabeça…

Você aí atrás…

Vintage Car - Laila Hallack

Motoristas impacientes me deixam muuuuito ansiosa. Sabe aquele carro que fica atrás do seu ensaiando para ultrapassar em local proibido durante todo o trecho? Buzinando pra você acelerar? Ou claramente insatisfeito com a sua maneira de conduzir o carro? Eu estou sempre dentro do limite de velocidade. Costumo até ser certinha demais no trânsito… o que parecer ser um problemão (why?). O ansioso vai sempre sofrer por incomodar alguém, mesmo quando supõe isso. No volante não seria diferente…

Por favor, nos deixem dirigir!

Hit the road, Laila

Então quer dizer que bebida ansiedade e direção não combinam?! Depende. Podemos deixar o carro na garagem e, ok, não passaremos mais por tudo isso, mas a ansiedade vai continuar existindo. Sofreremos no transporte público, como ciclistas ou pedestres. Por isso, a melhor escolha é aprender a contornar aquilo que nos tira dos eixos. Como?!

Na boa, ao contrário do que devemos fazer com os nossos problemas, no trânsito a solução é ignorar, seja o engarrafamento, a obra no meio da pista, o motorista barbeiro, o mal educado, o que te xinga… Siga o seu percurso, do seu jeito, seguindo as normas e foda-se (sorry pelo palavrão).

Hit the road - Laila Hallack

No meu trajeto para casa, por exemplo, pego um longo trecho de estrada. Aumento o volume do rádio. Piso no acelerador (com cautela, diga-se de passagem) e por alguns quilômetros esqueço de tudo. É quase uma meditação! A sensação é tão boa que fico triste quando finalmente chego. O meu desejo é de apenas seguir dirigindo… em paz.

 

MAIS POSTS SOBRE: